Objetos astrofísicos compactos: um teste para as teorias alternativas da gravitação.

Nome: Adriano Mesquita Oliveira
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 06/10/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Júlio César Fabris Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Hermano Endlich Schneider Velten Coorientador
Jorge Ernesto Horvath Examinador Externo
Júlio César Fabris Orientador
Martin Makler Suplente Externo
Oliver Fabio Piattella Suplente Interno
Sérgio José Barbosa Duarte Examinador Externo
Winfried Ernst Wilhelm Zimdahl Examinador Interno

Resumo: A estrela de nêutrons é uma estrutura compacta cuja atração gravitacional é sustentada devido a degenerescência do nêutron. Sua origem coincide com o fim do processo de fusão nuclear e é posterior a um processo explosivo, conhecido com Supernova. Nessa estrutura, os constituintes materiais encontram-se em condições extremas, a densidade em seu interior é da ordem da densidade nuclear, o que torna indispensável a utilização de teorias relativísticas para descrevê-la. Em geral, a teoria de Einstein em conjunto com uma equação de estado é utilizada para este fim. Porém, as incertezas sobre o comportamento da matéria e, de certo modo, da própria física nesse regime extremo abre margem para introduzir teorias alternativas para descrever essas estruturas estelares. Nesse contexto, esta tese propõe abordar as consequências, na estrutura da estrela de nêutron, do uso de alguns modelos alternativos à teoria de Newton e de Einstein. Como resultado tem-se, uma primeira aproximação não relativística para essas estruturas, um limite para o parâmetro de Rastall - bem como a solução de vácuo para essa teoria - e uma análise da relevância dos termos inerentes às correções relativísticas.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910